PORTAL UTP
Leões do Vôlei encerra as atividades do ano em festival com estudantes. -Na imagem, o atleta olímpico Emanuel. Curitiba, 07/12/2016 Foto:Valdecir Galor/SMCS

Leões do Vôlei encerra as atividades do ano em festival com estudantes

Em clima de festa, o Projeto Leões do Vôlei, que ensina o esporte a 1,2 mil estudantes de escolas municipais de Curitiba e da Fazenda Rio Grande, na região metropolitana reuniu professores e estudantes no Campus Schäffer da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), para um grande festival de confraternização e encerramento das atividades de 2016.

O evento celebrou os bons resultados da nona edição do projeto que em Curitiba é desenvolvido em parceria da Prefeitura de Curitiba, por meio da Secretaria Municipal de Educação e a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, e a Leão Alimentos e Bebidas. São dez escolas municipais integradas ao projeto com a participação de aproximadamente 600 estudantes, além de atividades em ruas da cidadania.

Leões do Vôlei encerra as atividades do ano em festival com estudantes. Curitiba, 07/12/2016 Foto:Valdecir Galor/SMCS

Leões do Vôlei encerra as atividades do ano em festival com estudantes/ Foto:Valdecir Galor/SMCS

“Educação e esporte são duas coisas essenciais para a formação humana. Com o Projeto Leões do Vôlei estamos dando a oportunidade para que nossas crianças aprendam o esporte e, sobretudo, realizem sonhos e se tornem cidadãos de bem, com condições de assegurar um futuro melhor a todos”, disse o atleta olímpico e padrinho do projeto, Emanuel do Rego.

A partir de uma metodologia esportiva desenvolvida por Emanuel e Giba, outro atleta olímpico e também padrinho do projeto, crianças de 8 a 14 anos participam de aulas de vôlei nas escolas. As aulas são ministradas por professores municipais treinados na metodologia e supervisionadas pela dupla de atletas que também acompanha o desenvolvimento das atividades nas escolas, durante visitas periódicas.

A Secretária Municipal da Educação de Curitiba, Roberlayne Borges Roballo, observa que o projeto, além de aproximar os estudantes de ídolos do esporte nacional, promove melhorias no desempenho das crianças, tanto em questões pedagógicas como na qualidade de vida.

“Essa parceria nos ajuda a combater as desigualdades e a fazer com que todos tenham, pela escola, um sentimento de pertencimento. Isso é o que dá o poder de transformação de vidas, além de motivar ainda mais os meninos e meninas a assumirem o compromisso com a educação e o esporte”, disse.

Durante o festival, as crianças puderam disputar jogos de minivoleibol, com regras adaptadas de acordo com as idades. Para não caracterizar competição, as equipes foram formadas por estudantes de escolas diferentes. A programação das atividades foi dividida em estações educativas, com orientações ao trânsito, alimentação, saúde, leitura e sustentabilidade, além de jogarem vôlei com Emanuel, conversarem com o ídolo e participarem da contação de histórias feita pela Bruxa Beth da Casa Encantada do Bosque Alemão.

O estudante da Escola Municipal Issa Nacli, no Cajuru, Gudryan Guilherme, de 10 anos, considerou o momento uma oportunidade única pra quem se dedica ao esporte.  “A gente vibra muito com os treinos na escola, ficamos alegres e motivados com o trabalho da professora, mas estar com o Emanuel é uma oportunidade única que me dá a certeza que o Leões mudou a minha vida”, afirmou.

Em nove anos de atividades, o Leões do Vôlei coleciona grandes conquistas. Muitos participantes melhoraram seus rendimentos escolares depois das aulas de voleibol, além do compartilhamento de valores positivos, como trabalho em equipe e o respeito ao próximo.

Para o professor Rogério Veiga, da Escola Municipal Maria do Carmo Martins, no CIC, a presença de atletas como Emanuel mobiliza e incentiva os estudantes a acreditarem na educação e no espaço escolar como possibilidade de sucesso na vida. “As crianças tem um atleta referência no projeto, isso dá credibilidade e faz com eles acreditem, tenham autoconfiança, resgatem a autoestima e possam se desenvolver responsabilidades, senso crítico e disciplina”, destacou.

Mikael Gonçalves Mora, de 10 anos, afirma que as professoras o tornam mais confiante. “A sabedoria que as professoras têm para ensinar vôlei é algo que me ajudou em tudo, até fora da quadra. Eu percebo que elas nunca deixam ninguém pra trás, insistem nas atividades até que todos tenham conseguido fazer. Isso é muito importante porque eu me sinto mais seguro e em sala de aula tenho liberdade pra dizer quando não entendi e também consigo perceber que às vezes tenho que refazer as coisas pra ficar melhor”, disse o menino.

Fonte: http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/leoes-do-volei-encerra-as-atividades-do-ano-em-festival-com-estudantes/40709

Tweet about this on TwitterShare on FacebookGoogle+

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!